domingo, 2 de novembro de 2008

Entrevistas de Imigracao



MARCELO CAMPERO

Cheguei às 8h35min no prédio, fiz o cadastro na recepção e foi-me dito que minha entrada no escritório ainda não estava autorizada.
Fui dar umas voltas pelas redondezas, tomei um suco de laranja e retornei por volta das 9h00min; ainda assim a recepcionista disse que ela não havia recebido autorização para me deixar subir. Aguardei mais 5min e logo minha entrada foi autorizada.
O escritório fica no 15º. andar, parecia uma eternidade chegar lá. Fui recebido com “Bon jour” pela recepcionista e logo em seguida “Asseyez-vous s’il vous plaît”. Quando me dirigi ao hall de espera, já avistei de longe uma sala aberta onde se encontrava meu entrevistador, lendo alguns documentos. Devia ser o tal do africano que alguns entrevistados mencionaram... [Na verdade, parece-me que ele é haitiano.]
Aguardei uns 15min, assistindo a um vídeo chamado “Infiniment Québec” e em seguida o entrevistador me chamou. Vestia um paletó xadrez meio alaranjado, uma gravata amarela e uma calça social cuja cor me parecia salmão... Logo de cara ele começou a falar em francês e me perguntou quais línguas eu falava e eu disse que, além do português, falava inglês e um pouco de francês, no que ele começou a deslanchar, pra minha surpresa, perguntas em inglês! Perguntou coisas sobre meu trabalho atual, minha profissão etc.
Voltou para o francês e, no decorrer de minhas respostas às suas perguntas, disse que meu francês não era tão avançado, conforme eu havia mencionado no dossiê. Na mesma hora, saquei da minha mochila o resultado do TFI (Test de français international), que apontava minha nota total de 830 sobre 990 possíveis, o que me colocava, sim, num nível avançado, segundo avaliação da UP Language, aplicadora do teste, e da própria ETS. Ele pegou esse resultado e foi para o computador. [Obs. Decidi pelo TFI por ser bem mais barato que o TCF e o TEF; custou-me R$ 180,00 comparado a mais de R$350,00 dos outros dois. O TFI compreende 90 testes de compreensão oral (listening), em 48 min, e 90 testes de compreensão escrita, em 62 min. Não tem avaliação verbal.]
Aliás, devo dizer que nesse momento a impressão que me dava é que, de fato, segundo alguns relatos que li no Orkut, esse entrevistador estava interessado somente na pontuação. Não demonstrou nenhum ar de simpatia, de informalidade, nada do que eu ouvi falar sobre os antigos entrevistadores. Não houve nenhum interesse da parte dele em saber acerca de meus conhecimentos sobre o Québec, aspectos culturais, políticos, climáticos, quais os motivos para eu querer ir pra lá, não perguntou quase nada de minha vida pessoal, ...
Devo dizer que particularmente eu prefiro um tratamento como o dele, o que demonstra imparcialidade, e também não deve ser nada diferente do que devemos esperar dos quebequenses que trabalham em serviços públicos.
Durante nosso encontro, ele me pediu diplomas, comprovantes de trabalho, viu meu demonstrativo de pagamento de salário, certidão de nascimento, perguntou se tinha filhos (não tenho), se era casado (não sou casado), se eu tinha feito pesquisa sobre minha área de trabalho no Québec (eu mostrei algumas ofertas de trabalho na minha área em Montreal, aliás, minha área é Finanças).
No final, ele imprimiu uma folha com o resultado e disse que minha pontuação era insuficiente para a aprovação, basicamente por causa de minha idade (38 anos). Na verdade, eu já sabia que minha idade seria o maior empecilho para a aprovação, motivo pelo qual eu investi tempo e dinheiro para colocar meu francês num nível avançado, que era pra compensar esse problema. Ele disse que se eu tivesse um mestrado ou doutorado, isso poderia até ajudar, mas o grande obstáculo era a idade.
Foi aí que ele começou a amolecer: demonstrou uma certa indignação com o resultado, querendo dizer que ele havia tentado me ajudar no que pôde, me mostrou que eu havia feito uma ótima pontuação nos outros quesitos, etc. Naquele momento, eu simplesmente joguei a toalha e vi que todo meu esforço no aperfeiçoamento do francês não tinha sido suficiente. Ou seja, o resultado estava fora do meu alcance, o fator idade pesava muito. Eu nem tive forças pra argumentar que eu havia feito a simulação no computador e tinha sido aprovado somente quando eu colocava nível de francês avançado. Eu nem acho que se meu nível tivesse dado fluente as coisas iriam mudar muito.
Foi então que eu me levantei, muito chateado, sem dizer absolutamente nada, apenas ouvindo ele dizer que meu perfil era muito bom, que eu tinha ótimos níveis de francês e inglês, que eu tinha ótima experiência de trabalho, etc. E que ele iria fazer um pedido para que eu fosse aprovado, que dificilmente seria negado e que era pra eu aguardar uma carta na semana seguinte. Segundo ele, era quase certo que eu seria aprovado. O entrevistador mostrou um lado bem mais sensível do que eu poderia imaginar, ele estava triste pois parecia que estava torcendo pra eu ser aprovado pelo sistema. Não parava de falar, parecia que queria até me consolar... Voltei pra casa completamente desolado, mas pouco a pouco me dei conta que havia feito meu melhor e que, se não tinha sido daquela vez, haveria outras.

Para ver a entrevista completa Clique Aqui

4 comentários:

cintia disse...

Nossa teacher, esse testemunho é emocionante! Fui lá no blog dele e achei super legal!
Muito merecido!

bjs

bernardo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mírian ღ ღ disse...

Marcelo!!!!! PARABENS!!!! Que grande alegria a sua vitoria nos traz... estamos celebrando co voce, mesmo sabendo que essa é apenas uma possibilidade para voce que tantas otimas opcoes a seu dispor. Entretanto, é bom saber que essa fase esta encerrada e caso queira pode ir para as terras geladas e construir sua vida academica por exemplo seja qual for sua escolha nos alegramos com voce!

Eh pessoal, essa a primeira vitoria da nossa ultima geraçao de alunos. Logo estaremos postando os outros alunos do nosso grupo que serão aprovados!

bernardo disse...

Parabens Marcelo! Sempre ouvi falar muito bem de voce e tenho certeza de que merece essa vitoria.Agora é correr pro abraco.
Sucesso na nova vida!